• A Viagem

    Olá amigos seguidores e apoiadores do Ministério Vida Pura.
    Segue abaixo um artigo espontâneo de um dos membros do Método de Reprogramação MVP.



    Percebi que quando nos afastamos e não buscamos a Deus ficamos totalmente vulneráveis a cair.
    Estive viajando em casa de parentes e não consegui realizar os estudos, enfim não conseguia tempo para meditar na palavra. Sei que isso não justifica, pois podemos buscar a Deus em qualquer lugar, basta encontrar algum canto da casa ou do quintal que dê para abrir a boca e conversar com Ele, poderia ter lido a bíblia, era só baixar o aplicativo pelo celular, mas não fiz nada disso, agi como a maioria das pessoas e de forma automática preferi descansar, relaxar e aproveitar os momentos, afinal estava viajando.
    Quando voltei para casa, minhas vontades não eram exatamente orar e buscar, estava em uma zona de conforto.
    - Hoje não estou com vontade – pensava eu.
    Logo deixei a vontade vencer e veio a queda, e ouvi um tipo de estralo e um pensamento surgiu, me dizendo:
    - Quando você se afasta e escolhe não se aproximar de Deus, estás totalmente vulnerável e lutando sozinho.
    Em seguida parei, logo um sentimento de culpa e traição sobreveio, pensei no que havia cometido e pedi perdão.
    - Oh! Deus, tentei lutar sozinho, te abandonei a acabei caindo, me perdoa por isso e coloca em mim um coração que te ama, gere arrependimento em mim e amor por Ti, perdão por descansar em minha carne e não em Ti.
    Nessa hora percebi que a viagem não era apenas física, mas uma viagem da alma, deixei Deus de lado, alimentei minha vontade de relaxar e acabei me intoxicando com o alimento do pecado, sei que poderia ter aproveitado o passeio, fazendo o que era certo, deveria alimentar meu espírito e buscar me conectar a Ele, mas preferi trocá-lo pelas atrações de uma jornada passageira.
    Estamos em uma guerra e nossa luta é diária, aquele que mais alimentamos é o que vence, e no meio dessa luta percebo que existem dois lados dentro de mim, semelhante aquelas cenas de desenho animado, em um ombro o anjo, no esquerdo um demônio, e aquele que damos ouvido é o que vence.
    Tem dia que não quero orar. A mente diz:
    -Você tem outros afazeres, seu dia é curto.
    -Hoje não preciso, estou sem vontade.
    Muitos pensamentos permeiam pela minha mente, mesmo assim luto a favor daquilo que é certo, e mesmo sem vontade começo a clamar por misericórdia, em minha sinceridade digo:
    -Senhor, tu sabes que não gostaria de estar aqui, contudo não é correto fazer o que quero, mas a sua vontade, não posso ser guiado pelos meus desejos, mas pelos seus, e sei que estou aqui porque tu queres.
    Quando voltei dessa viagem, com esse sentimento de não orar e ser guiado pela vontade de relaxar, descansar, essa emoção que estava sentindo precedia minha queda e não notei, e quando cedi minha mente viajou em uma infinidade de pensamentos, me fazendo perder toda a motivação, me levando em uma tentativa de parar minha caminhada. Mas sabe de uma coisa? Foi bom ter caído, esse estado me levou novamente a dependência de Deus. Pedi perdão e voltei a clamar por Ele, até nessas condições pude ver o amor de Deus, mesmo o abandonando, Ele transformou o que era mau em benção.
    Outra coisa que percebi é a conexão da minha alma ao tempo, ela parece pensar, ou será que não é ela?
    - Cara, há um tempão está enfrentando isso, logo, logo o tempo acaba e você nunca vai parar de cair, você não vai vencer, desisti cara, é tudo em vão.
    Reverto esse pensamento e luto comigo mesmo, penso que sou um vencedor, penso que Deus está comigo, e acredito que na verdade o que vale é o que Deus pensa de mim, penso que Jesus pagou o preço para que eu fosse livre, o véu foi rasgado para que eu fosse um com ele, me distanciando cada vez mais do materialismo.
    Ás vezes me autoanaliso, para ver se vejo algum aperfeiçoamento, não observo progresso, só pendências, porém quando foco em Deus, sinto a sua misericórdia me moldando e se já tenho a capacidade de discernir algum mal, isso já é o começo.
    Quando me sinto culpado e com vontade de retroceder, inevitavelmente me entristeço por causa da queda, contudo vejo o quanto estou progredindo, pois antes não sentia tristeza alguma, o pecado fazia parte de mim, estava me acostumado a ele. No entanto agora esse asco e sofrimento pelo vício são provas preeminentes de um autêntico arrependimento gerado dentro de mim.
    Outra evolução que tenho percebido é que o meu afastamento de Deus, me deixou saudades, sentia que deveria busca-lo, um desejo que começou pequeno crescia forte dentro de mim, achava que deveria me relacionar com Ele, porém meu desejo carnal foi mais forte, e inevitável foi a minha queda.
    Sei que estou caminhando e a um passo de cada vez, até que essa vontade intrínseca pequena de estar com ele, ser íntimo dele se torne maior e mais forte do que qualquer vontade imoral que venha a sentir.
    Outra falha que tem me acompanhado é o anseio da minha alma pela vitória, não que isso seja errado, no entanto não devo buscar a Deus somente pela conquista, pois assim estarei procurando meramente suas mãos ao invés de buscar a sua face pelo que ele é e não pelo que ele pode fazer. Preciso aprender a amá-lo e isso é unicamente possível através de uma intimidade, através de um verdadeiro conhecimento, de andar com ele, de falar com ele e ouvir a sua voz. É impossível amar alguém antes de conhecer esse alguém.
    -É uma luta, cara! O meu adversário? Sou eu mesmo e Satanás é somente o “gênio da lâmpada” que satisfaz o desejo do mal que em mim habita.
    -O que devo fazer? Dizer não ao gênio e recusar aos desejos passageiros e de recompensas sem fim que ele pode realizar, e dizer sim ao Grande Escritor e Criador dos céus e da terra e Autor da minha vida e que por seu infinito amor não me deixará a mercê do desejo do mal que ainda vive em mim, pois somente ele sabe o que realmente seja bom para mim.
    O Eterno Escritor espera que eu entregue a caneta em suas mãos para que minha história seja escrita conforme a sua vontade, ele espera minha submissão ainda que não entenda e seja difícil essa compreensão, e mesmo que tropece, isso não significa que ele não é o Autor da história, pois igual uma criança persistente que se levanta depois de cada tombo sei que ainda vou caminhar com perfeição.
    Se por um momento achar que algo vai sair do controle, vou me lembrar que nunca vi alguém que deixou sua caneta na mão do Grande Escritor ter uma história com final cheio de falhas e erros, pois sei que minha história não termina aqui, mas é como a construção de uma casa, onde não é bonita no começo e nem durante a obra, mas o acabamento final faz toda a diferença.
    Essa viagem de fato foi muito marcante e inesquecível, pois tudo o que aqui foi escrito é o resultado da graça de Deus que me abriu os olhos.
    Toda adoração e glórias sejam dadas a Ele. Um Pai de infinito amor.
    Sou eternamente grato por tudo, pois somente Ele é digno de todo louvor.

    Muriel Hercílio de Mello





  • 0 comentários:

    Postar um comentário

    Todos os direitos reservados por Ministério Vida Pura 2016. Tecnologia do Blogger.